Carregando...

OEE – Que palavrão é este?

OEE ou Overall Equipment Effectiveness é um indicador de desempenho para equipamentos (ou linhas de produção de uma planta industrial) muito utilizado dentro das práticas da Total Productive Maintenance (TPM) nas indústrias. Não confundir com a outra, e mais relevante, TPM (rsrsrs).

Overall Equipment Effectiveness pode ser traduzido como Eficiência Geral (ou Global) do Equipamento (ou Máquina), mas o usual é chamar de OEE mesmo.

Há cerca de um ano atrás escrevi um post sobre disponibilidade física e utilização, outros dois importantes KPI’s. No final daquele artigo falei que em breve conversaríamos sobre OEE. Não foi tão breve assim, mas aqui estou eu cumprindo o prometido.

Como qualquer KPI, o OEE deve ser:

  • Específico;
  • Mensurável;
  • Atribuível;
  • Realista; e
  • Temporizável.

Ficou curioso sobre estas 5 características de KPI’s? Clique aqui, e leia um post específico sobre o que torna um indicador de desempenho smart.

Antes de prosseguirmos é importante avisar, este post é daquele tipo que tem uma série de cálculos e informações técnicas. Vou tratá-las de forma leve para torná-las de fácil entendimento, então não desista e siga na leitura (rsrsrs).

A origem e os elementos do OEE

Este indicador foi desenvolvido pelo Japan Institute of Plant Maintenance (JIPM) para avaliar o quanto um equipamento (ou uma linha de produção de uma planta) está sendo eficiente. Este indicador tem três componentes:

  • Disponibilidade, o qual avalia a quantidade de horas trabalhadas em relação a quantidade programada;
  • Performance (ou Desempenho), que avalia a quantidade de produção em relação a capacidade de produção nominal;
  • Qualidade, o qual, por sua vez, avalia quantidade produzida dentro das especificações de qualidade em relação a quantidade total produzida.

Na verdade o OEE é o produto destes três componentes.

OEE = Disponibilidade x Performance x Qualidade

Estes três componentes são calculados como porcentagens, logo o OEE também é calculado como porcentagem.

Assim, o JIPM desenvolveu também o conceito de World Class OEE , que são plantas extremamente produtivas, cujo OEE é igual ou superior a 85%. Também de acordo com as pesquisas do JIPM, a maioria das empresas tem um OEE da ordem de 60%.

Pareceu um pouco confuso? Não se preocupe, abaixo explicarei estes três componentes em detalhes.

Disponibilidade

A disponibilidade é a relação entre o tempo (ou horas) em que o equipamento efetivamente produziu e o tempo que foi programado para a produção.

A disponibilidade é calculada pela seguinte fórmula:

Disponibilidade = (Tempo de produção / Tempo programado) x 100%

Para explorarmos o conceito de disponibilidade e como ela é calculada, veja a seguinte situação:

  1. Queremos avaliar o OEE de um determinado equipamento.
  2. Ele opera 44 horas por semana. Num mês de setembro, que tem 30 dias ou 4,3 semanas, a quantidade de horas programadas foi igual 189 horas.
  3. Neste mês, período de tempo em que se quer avaliar o OEE, este equipamento efetivamente operou 142 horas.

A disponibilidade deste equipamento é de 75,13% conforme cálculo que segue.

Disponibilidade = (142 / 189) x 100% = 75,13%

Existe uma relação entre a disponibilidade como calculada acima e a disponibilidade física e utilização que foi falada num post anterior. Adianto que a disponibilidade como calculada aqui não é exatamente igual à disponibilidade física. A diferença entre elas será abordada no próximo post.

Performance

A performance é a relação entre a quantidade efetivamente produzida e a quantidade que teoricamente seria produzida se o equipamento tivesse operado em sua capacidade nominal.

Calculamos a performance usando a seguinte fórmula:

Performance = (Quantidade produzida / Capacidade de Produção Nominal) x 100%

  1. Dando continuidade ao exemplo anterior, nas 142 horas que o equipamento efetivamente operou foram produzidas 1.071 unidades de um determinado produto.
  2. A capacidade nominal de produção naquele equipamento é de 10 unidades por hora, assim nas 142 horas operadas, a produção teórica seria de 1.420 unidades.

Neste caso a performance do equipamento é de 75,42%.

Performance = (1.071 / 1.420) x 100% = 75,42%

Atente que a semelhança entre os valores de disponibilidade e utilização, ambos em torno de 75%, não é obrigatória. Ela foi feita, aqui neste exemplo, por motivos didáticos que serão explicados no final do post. Leia até lá (rsrsrs)

Qualidade

Todo o produto possui uma série de especificações que foram elaboradas para atender as necessidades e demandas dos clientes. Quanto um produto está em desacordo com estas especificações, ele está fora da qualidade, demandando retrabalho ou sendo refugado.

Não adianta ter alta disponibilidade e alto performance se um percentual significativo dos produtos estão com problemas de qualidade.

Assim, a qualidade é a relação entre a quantidade produzida dentro das especificações de qualidade e a quantidade total produzida.

  1. Seguindo com exemplo anterior, das 1.071 unidades produzidas, 798 é a quantidade que estava em total acordo com as especificações, assim, o índice de qualidade é de 74,51%.

Qualidade = (798 / 1071) x 100% = 74,51%

Mais uma vez, o valor próximo a 75% é por motivos didáticos que ficarão claros a seguir.

Calculando o OEE

Para o equipamento do nosso exemplo, o OEE será somente de 42,24%.

OEE = 75,13% x 75,45% x 74,51% = 42,24%

Para os padrões propostos pelo JIPM, o equipamento avaliado possui uma OEE muito baixa, em torno de 40%. Uma OEE em torno de 40%, é o resultado quando seus três componentes estão na ordem de 75%.

Levando o mesmo raciocínio para a realidade da maioria das empresas, que segundo o JIPM, tem um OEE de 60%, os três componentes sã da ordem de 84%.

E para uma empresa Worid Class, um OEE de 85%, é o resultado de três componentes são de 95%.

Em outras palavras, para um equipamento (ou linha de produção de uma planta) ter um OEE igual ou superior a 85%, ele deverá ter 95% de disponibilidade, 95% de performance e 95% de atendimento a qualidade, ou outra combinação de valores cujo produto seja 85%. É um senhor desafio.

Obviamente, os indicies de disponibilidade, utilização e qualidade não precisam ser da mesma ordem de grandeza. Pode-se chegar a OEE’s de 60% (ou 85%) através da combinação de diferentes valores dos três componentes.

OEE é um assunto muito rico e com diversas nuances. Assim, vamos continuar conversando sobre isto nos próximos três posts. Dedicarei cada um deles a um dos componentes do OEE.

Espero vocês lá.

Alexandro Avila de Moura
Engenheiro Mecânico graduado na UFRGS. Especialização em Gestão Estratégica (USP) e Gerenciamento de Projetos (Pitágoras). Mestrado em Administração incompleto (PUC MG). Experiência de mais de 25 anos no setor de mineração, especificamente nas áreas de gestão de operação, manutenção e desenvolvimento de projetos, liderando grandes equipes. Certificado como PMP (Project Management Professional) pelo PMI (Project Management Institute). Número PMP 182 8522. Experiência também nas áreas de segurança e saúde ocupacional, meio ambiente e relacionamento com comunidades e na área financeira.

2 pensamentos em “OEE – Que palavrão é este?

  1. Nercy Grabellos disse:

    Excelente a postagem!

  2. Nercy Grabellos disse:

    Excelente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *